Você não precisa!

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

 

 

De um tempo para cá algumas observações tem me caído muito mal, penso e repenso, observo novamente e creio não ter explicações para os sentimentos de revolta e raiva que me geram cada vez que as escuto.

Uma das mais comuns na minha vida é:

“Você não precisa, você tem marido!”

Será que pararam para pensar que “ter marido”, não significa colocar nossas vidas nas mãos deles e esquecermos de nós mesmas. Que talvez por ver meu marido como parceiro e não atribuir a ele o papel sufocante e ultrapassado de provedor único, seja o resultado de ainda “ter marido”.  Que antes de ser “esposa” sou mulher e que trago em mim a necessidade nata de me fazer sozinha.

“Você não precisa, você trabalha fora!”

Ora, trabalhar na minha vida nunca foi uma opção, senão um ato de sobrevivência. Se trabalho fora, trabalho em casa e mesmo assim faço algo mais, isso deveria ser colocado como um Plus, e não de forma a me diminuir nas outras coisas que desenvolvo. Se trabalho e ainda faço mais, ou sou masoquista ou realmente preciso!

Isso tudo me remete a situações onde o indivíduo desiste de lutar por ele, porém ao mesmo tempo, delega aos demais sua incapacidade de ser. “Não quero, mas os outros também não merecem querer.”

E quando alguém grita pelo direito de se fazer ouvir e querer, ouve esse tipo de coisas.

Essas pessoas carregam um ódio do mundo, e toda vez que ouço alguém me dizer que não preciso disso ou daquilo, porque tenho isso ou aquilo, me lembro do texto “O cobrador”, de Rubens Fonseca.

Levo comigo que mais cedo ou mais tarde, quando essas pessoas perceberem o mal que fazem, sairão cobrando de todos aquilo que apenas elas se negaram a ter. Enquanto isso não acontece, cobram dos amigos e oneram esses com suas lamúrias e desgostos, tentando puxar para o ralo aqueles que lutam para se manter fiéis aos seus ideais.

 

 

P.S.¹: Texto pesado e para alguns sem sentido, mas fundamental para eu não ficar remoendo…

P.S.²: Creio que os romances e os velhos chavões contribuíram para deixarem as mulheres sonhadoras e inadequadas ao mundo moderno. Aquele negócio de Pequeno Príncipe: “és responsável por tudo aquilo que cativas…” pode ser lindo, marcante, mas não funciona num mundo capitalista, individualista e onde o ter determina muito mais que o ser.

P.S.³: Hay que endurecer pero sin perder la ternura jamás! Já dizia meu querido Guevara!

14 comentários:

Iara postou o comentário de número:

Estou aqui fazendo reverência a teu texto, mas como não pode ve-las, seguem as palmas.
CLAP,CLAP,CLAP,CLAP.

Você foi direta, certeira, e totalmente realista.
Adorei o que li e creia, desabafe mesmo que o sentido maior seja só pra ti.

Esses você não precisa da vida, são os mesmos que deveriam cuidar somente da sua vida.

Beijos amada.

Palavras Vagabundas postou o comentário de número:

Cissa, nao sei o que aconteceu, mas te entendo. Cansei de ouvir esses tipos de frase e a única coisa que não preciso é ouvir isso!
Ser esposa, mãe e dona de casa, não signfica que eu não precise me realizar profissionalmente, não significa que ser boa profissional eu não goste de costurar ou lavar roupa e por aí vai.
Quem põe suas realizações nas mãos dos outros (seja pai, marido, patrão ou filho) está comprando uma passagem direta para a infelicidade e a insatisfação.
Os romances e novelas podem até parte da culpa, mas ler e pensar sobre supera todas as tolices escritas. A inadquação desse mulherio meio burrinho, e digo mulher pois são elas a maioria que diz: Você não precisa... não é de hoje, vide Madame Bovary com quase 200 anos.
Abraço apertado
bjs
Jussara

Sandra postou o comentário de número:

eita que essa mulher tá brava hoje!

"Hay que endurecer pero sin perder la ternura jamás"

Textro profundo e fechado com chave de outro.

Beijos.

Crys Leite postou o comentário de número:

Como diria a Rochele ''Não preciso disso meu marido tem dois empregos'' rs brincadeiras a parte, concordo com você. Não é porque o marido trabalha e ganha bem que a mulher tem que ser encostada. Admiro muito quem trabalha, cuida da casa, dos filhos, do marido e antes de tudo é mulher e acima de tudo um ser pensante. Venhamos e convenhamos tem coisa mais chata que mulher que acha que só porque casou não tem mais obrigação de cuidar de si e se torna uma alienada? Aff

Beijinhos!

Maria Suzete Retti postou o comentário de número:

Cissa querida,
parece que você andou lendo meus pensamentos e minha vida, se resolve fazer alguma coisam mas porque?
Como consegue viver só sem ninguém?
e os filhos porque não te dão apoio?
Você é aposentada por isso não tem preocupação.
Com tudo isso dá vontade de responder você paga minhas contas? Não. Então deixa eu viver a minha vida e me conhecer como pessoa e não só como mãe, esposa e vó.
Que venha a felicidade de cada dia para cada uma de nós sem incomodar ninguém. Bjos.

Lola postou o comentário de número:

Cissa, prefiro um provérbio antigo mas tão sábio quando o texto: Todo mundo vê as pinga que eu tomo mas ninguém conta os tombos que eu levo! hahahahaha
Cada um sabe de si minha amiga. Ninguém tem o direito de dizer se vc precisa ou não fazer algo. Quem sabe disso é só vc, né não?
Bjs

Fernanda postou o comentário de número:

Oi amiga , obrigada pelas palavras , e esse seu post de hoje!Conheço muita gente assim , infelizmente .....

E a maior mudança que quero na vida, é pelo menos tentar me livrar de gente assim ....


beijosss

patty postou o comentário de número:

Eu não preciso, mas eu quero. Responda assim. Que mania os outros têm de dar palpites na vida alheia, eu hein? Bjs.

Luciana. postou o comentário de número:

É aí que sempre fico me perguntando por que as pessoas tem sempre a noção exata de como devemos viver a nossa vida, mas não tem a noção de como devem viver sua própria vida...
Gostei do que escreveu.
Bom fim de semana.
Bjos, Lú.

Clara postou o comentário de número:

Poxa vida, isso é um saco mesmo...
De todo jeito querem cuidar de nossa vida, como se o que pensam fosse bom pra gente.
Cansei de gente assim, e apenas ouço, filtro e sigo minha vida como tem que ser. Sem ninguém se meter.
Eu adoraria que essas pessoas aparecessem qdo eu estivesse precisando de algo, de pagar um conta ou qquer coisa do tipo.
Cadê eles?

Beijos

Adriana postou o comentário de número:

Ai, Cissa... tem gente que acorda pra fazer o mal... e ainda escova os dentes pra disfarçar a podridão que exalam... desculpe o jeito que falo, mas vivi isso muitas vezes durante este ano. Digo que sou vítima de bullyng, pra brincar com a dor... fico pensando... por que algumas pessoas acordam, se arrumam, põem perfume, e vão desgraçar os outros? Deveriam ficar dormindo, enclausuradas em um quarto escuro... desculpa mais uma vez, mas como vc disse, "fundamental pra mim não ficar remoendo..."
Trabalhar fora, e em casa, sem pirar, é plus!!! Ponto final!

beijos de sua admiradora que tbém trabalha fora e dentro, e no meio, e pelos lados... rsrsrs

Maria Reciclona postou o comentário de número:

Cissa, reflexão plena de consistência e louvor.
Ser mulher de multifunções ultrapassa certos limites e não suporta observações de pequeno porte... com certeza.
Um abraço, querida.

Luciana. postou o comentário de número:

Passei aqui só para te desejar um lindo e abençoado começo de semana.
Bjos, Lú.

Aninha postou o comentário de número:

Já ouvi muito absurdo desse tipo! af! Tem gente que não pensa no que vai falar, antes de falar, já ouvi uma vez que mulher que trabalha fora quer enrolar pra não cuidar da casa! fiquei revoltada! mas quem tem boca fala o que quer! né? bjs e ótima semana!

Você co
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...