Por uma vida mais leve e feliz

quinta-feira, 7 de abril de 2011






O que é  a culpa senão aquele sentimento que vai corroendo aos poucos, diariamente, e nunca permite que você se sinta completa, plena, feliz pelos pequenos detalhes.

Aliás, são nos detalhes que reside a culpa: "Poderia ter feito isso..." "Se me empenhasse mais..." "Se tivesse me organizado..." "Se ..." "Se..." e "Se..."

Tenho comigo que a culpa é um bichinho de hábitos noturnos alimentado  pelo ato de se permitir. 

Quando você se permite algo,  ele, o bichinho da culpa, ataca. E não é de maneira amena, ele ataca com tudo o que tem direito, de tal forma que você se nega o prazer e sai a cata de algo que preencha o vazio existencial que se instalou na sua vida. Aí ele repousa, enquanto você tenta compensar os sentimentos, e assim vai se repetindo o ciclo vicioso.

Sou PHD em culpa, tanto é que a culpa me fez escrever esse post. "Puxa vida, seria tão legal participar. Se eu me organizasse melhor, quem sabe de madrugada..." Não consegui lidar com ela, então aqui estou!

Dessa minha vivência nada pacífica resultou o diabetes, estresse relacionado com mania de perfeccionismo, de querer fazer tudo melhor, de carregar o mundo nas costas, de posar de mártir. A culpa ainda me proporciona uma diagnóstico não confirmado de Lúpus. O que seria coisa passageira, afinal você pode dizer que Lúpus é uma doença que com tratamento pode ser controlada. Claro, se eu como diabética pudesse fazer o tratamento do Lúpus... Um impede o outro. Sacou? A culpa é gente fina, perceberam.?!

Quero deixar claro que quando falo em culpa, não estou falando de trabalhos domésticos porque há muito tempo deixei isso de lado, se deu, deu, se não deu, não deu. Tenho uma pessoa que vem uma vez por semana e limpa a casa e passa roupa. Além disso, conto com um marido que é um amor, que diz que casou comigo sabendo que eu não era empregada.

Hoje, não deixo de ver um filme para limpar a casa, não deixo de descansar para lavar uma louça.

Falo da culpa por querer ser perfeita e não ser, por querer ser a melhor e não ser, na vida, no trabalho, como mãe.

Hoje entendo que a culpa me tirou muita coisa, mas também percebo que está em mim aceitar meus limites. Se as coisas acontecem, ora, quem penso que sou para controlá-las?!  Cresci num mundo onde a culpa sempre tinha que ser de alguém, e claro, assumi para mim, porém hoje não aceito mais esse fardo.Não é culpa minha!!! As coisas acontecem por acontecer, independente se estou me acabando ou não. Basta!!!

Viver sem culpa é ter qualidade de vida, é escolher os amigos, é se permitir ficar visitando blogs ou falando bobagem no twitter, é saber que se fez o possível, o viável, o necessário, é entender que o mundo não precisa de você para continuar existindo.  Estou no caminho de acabar com esse bichinho, demora, é difícil, mas ou ele acaba comigo, ou eu acabo com ele, e nessa luta, convenhamos, sou muito mais eu!

36 comentários:

Anita postou o comentário de número:

Excelente Cíntia, preciso me espelhar em vc e reler esse post várias vezes pra ver se consigo me permitir mais coisas, e ter uma vida mais leve e sem culpa, bjsssssssss.

http://esmaltesdafia.blogspot.com postou o comentário de número:

Cintia porque será que a gente é assim,aff tem horas que nem eu me entendo,ah vc mandou email pra mim ainda não recebi manda nesse email por favor ivanildesalves@r7.com.bjos Ivanildes

Neli Rodrigues postou o comentário de número:

Esse bichinho tem que ser combatido. A vida e os bons momentos são mto rápidos, não vale a pena não aproveitar certas coisas por culpa ou achar que foi por nossa causa que algo não deu certo, e sei foi, fazer o quê? Procuro melhorar a cada dia, mas jamais tento a perfeição, pelo menos não nesse plano, se é que vc me entende...
Tb tô nessa blogagem coletiva e acredite, minha culpa é zero messssmo.
Bjs♥

Simone Aline postou o comentário de número:

Cíntia,
gostei muito do seu texto. Muito reflexivo. E esse bichinho é insistente, viu? Mas uma hora a gente percebe mesmo que ele tirou muita coisa da gente. Mas não vai tirar mis!!! Tá... as vezes o "bichinho" quer fazer alguma "gracinha"... mas a vida é assim mesmo. Todo mundo se cobra demais, se culpa demais... E eu estou "vivendo sem culpa de estar visitando os blogs e lendo, lendo, lendo..." Feliz... tranquila...
Cheias de coisas me esperando... mas sem culpa alguma!!! Grande beijo!

Ana Maria ( Jeito de Casa ) postou o comentário de número:

oi Cintia

esse é um exercício que devo fazer mais..a culpa de estar muito acima do peso, a culpa de ver as pessoas ao meu redor com problemas..
Se fico muito nervosa minha imunologia cai e aí vem problemas...
Tive cancer de tireóide mas não consegui mudar nada nada...acho que porque não fiquei doente mesmo, foi tudo muito rápido, só tive um começo de depressão e tomado uns remedios fui melhorando... mas sou a mesma pessoa com as mesmas culpas..hehehe

Andreia postou o comentário de número:

Oi! Eu adorei esta blogagem coletiva sobre culpa. Precisamos mesmo nos livrar dela. Eu também sinto que pra mim, ela vem do desejo de ser perfeita e como ninguém é... Eu me chicoteio com minha culpa.
Concordo com vc que viver sem culpa é o melhor a fazer e vou seguir seu exemplo.
Bjs

janeladesonho.blogspot postou o comentário de número:

Amiga li o seu post e o da Nelli , nem vou me atrever a fazer hj esse post , um dia especialmente de sentimento de culpa hehehhehehe adorei as coisas que escreveu , temos que por limites priemiros e nossos sentimentos , e saber dizer sim : sim ! não :não ! Bjimmmm

Fernanda postou o comentário de número:

oi querida... tudo bem por aí???
adorei o texto e fiquei pensando que muitos carregam essa culpa e na verdade o fardo era de outro dono!!!
Eu tenho uma amiga que tem Diabetes e Lúpus e ela faz tratamento, eu não sei como extamente mas faz!!! beijodosulpravc!

Monica Morris postou o comentário de número:

Oi querida quanto tempo nao aparece la no blog queria dizer a vc que eu fiz um sorteio surpresa sobre as minhas Top Comentaristas e vc ganhou queria que me manda-se um email para monica_twka@hotmail.com com o seu endereço para que eu possa enviar por correio vai demorar um pouco a chegar pois vira de Angola
passa la no blog para ver bjbj
Monica
http://coisasdaminhacasa.blogspot.com/

Du postou o comentário de número:

Impossível dizer que não existem ou não existirão mais culpas, porque isto é inerente à vontade de nós, seres humanos. Mas se a gente puder refletir e principalmente ponderar nossas atitudes e agir sempre de forma correta com as pessoas que nos cercam, com certeza as culpas diminuirão e muito na nossa mente. As culpas muitas vezes estão ali e somente ali, fixadas na mente, sem fundamento algum para existirem de fato.

Acho que vale a reflexão.

Bela postagem, parabéns!

Amanda Paula postou o comentário de número:

Cintia, você faz um auto análise perfeita, nem precisa de psicólogo! Ano retrasado eu fui o ano inteiro em um psicólogo, mas descobri sozinha no começo desse ano que eu acho que sempre a culpa é minha. E por vários motivos, exemplo: uma amiga nao fala direito mais cmg e eu acho que a culpa é minha, descobri que não é! Ela que está naquela semana ruim! Mas por incrível que pareça, descobri isso realmente só agora, ou seja, imagina qts vezes eu fiquei me remoendo achando que A CULPA ERA MINHA. Acho que a palavra chave é essa que vc citou, vivemos em um mundo onde a culpa tem que ser de alguém! Você não está sozinha, mas podemos ser melhores, e pelo jeito, sabemos o caminho!

Bjss

Desi postou o comentário de número:

Oi!
Vim te convidar para participar do sorteio que a Rocket Camisetas fez em parceria com o meu blog.

Beijinhos!

Patricia Daltro postou o comentário de número:

Acho que a culpa permeia todas nós. Impulsiona e poda (na maioria da vezes) nossas ações. Assim como você, tenho aprendido a driblar a culpa e tentar viver uma vida mais leve.

Minha Mãe Sabia... postou o comentário de número:

ai amiga tb to nessas nossa sorte e ter maridos domesticados .. hahah se o ed le isso me bate achoo...

Fernanda Reali postou o comentário de número:

Acho que a culpa nos adoece tanto física quanto psicologicamente. A preguiça deve ser combatida, temos que produzir sempre que possível, mas aceitar quando não for possível e não nos prostrarmos. Culpa é atraso de vida.

Amei te conhecer mais, amiga, beijooo

Pri - Cantinho postou o comentário de número:

A culpa pode nos fazer doentes. Essa é uma lição que levo daqui e é mais um incentivo que tenho para me empenhar no meu projeto #culpazero.

Buscar diminuir as expectativas que tenho em relação ao futuro, as pessoas, as coisas.

Gostei daqui!
Tb to na blogagem coletiva.


Beijos!


www.cantinhodapiu.com
twitter:@pri_sobrinho

Lu Souza Brito postou o comentário de número:

Cintia....

Mais um post que eu me identifico. Estou adorando esta blogagem.
Também vivi a vida inteira me sentindo culpada disso e daquilo. Querendo sempre agradar.
E aí? Artrite reumatóide das bravas, 6 anos de tratamento, bla bla bla.Ós sintomas sao bem parecidos com a lupus, o tratamento idem.
Depois disso tive que aprender a enxergar meus limites...aprendendo pela dor literalmente.

Um beijo

orvalho do ceu postou o comentário de número:

Olá, querida Cíntia
Amar-se mais... ser mais a gente mesmo... é coisa de pessoa que saiu do remorso e se trabalha na cosnciência de culpa... que traz benefícios em todos os níveis do nosso ser...
Bjs de paz e culpa zero.

Edna Santos postou o comentário de número:

Oi Cinthia.
Faz tempo que não ando por aqui.
Mas gostei do seu post, principalmente qdo vc diz que viver sem culpa é ter qualidade de vida, e que não somos insubstituiveis, pois o mundo segue.
E isto me faz pensar que tem um montão de gente por ai se achando a última bolacha do pacote..ísto me enche de culpa.
bjs
Edna Santos

Irene Moreira postou o comentário de número:

Olá Cintia

Estou vindo através da Blogagem Coletiva a convite da Luci.

Carregar essa culpa em cima de querer ser a the best é uma condição muito difícil, mas tempos que lutar contra ela para que ela não nos sufoque.

Culpas as mulheres sempre vão conviver, mas com o tempo estamos sempre revendo-as e fazendo novas escolhas, mas o importante é que amadurecemos, crescemos como seres humanos e aprendemos a olhar um pouco mais para nós mesmas.

Beijos

Ana Paula Santiago (inventandocasa.blogspot.com) postou o comentário de número:

Esse bichinho, a culpa, é mesmo corrosivo... Nos destrói aos poucos e constantemente, e por isso mesmo temos que tentar controlá-lo.
Cintia, não sabia do lupus. Achei que vc tinha artrite, como eu.
Também me cobro a perfeição. Mas tenho tentado controlar essa mania corrrosiva.
Beijocas amiga.

Angela postou o comentário de número:

oi, Cintia.
me identifiquei com você logo que comecei a ler seu post.
Também tenho problemas de saúde(fibromialgia) causado por essa tal de "culpa" que insisto em carrega vida afora.Também participei da blogagem coletiva.
Um grande abraço.
http://eoutrascoisitasmais.blogspot.com/

Eva postou o comentário de número:

Oi amiga lindo esse post, parabéns e viva a vida! bjos.

Lola Sciwinzki postou o comentário de número:

Olha eu aqui.
Menina a gente se culpa por tanta coisa né?
E fica pensando nos se aqui se isso.
Demorei muito tempo pra me livrar das culpas.
Não sei mais o q é isso.
Fui criada e cresci com muitas culpas, hj eu me sinto muito melhor.
Bjks.

Palavras Vagabundas postou o comentário de número:

Cintia,
a gente custa a largar certos fardos, principalmente o da perfeição. Mas a gente consegue!
Cuide da saúde direitinho.
bjs
Jussara

Carla Farinazzi postou o comentário de número:

Oi Cíntia,

Muito bom o seu texto!
Me fez lembrar uma coisa. A gente vê, ao lado de pessoas por exemplo como você, em que a culpa traz até stress e diabetes, outras pessoas que nunca sentem isso, nem nada parecido com isso. Pelo contrário, estão sempre culpando alguém pelo que lhes acontece.
Me lembrei disso porque conheço um monte de gente assim. Uma coisa é a gente ir se livrando da culpa excessiva que carregamos, em nome de uma qualidade de vida melhor; outra coisa é gente que se esquiva de responsabilidade/culpa por pura covardia.
Gostei muito do seu post.

Beijos

Carla

Adelaide postou o comentário de número:

Amiga, sou um ser livre da culpa atualmente, mas tenho algumas restrições não posso dizer por exemplo que as células adiposas que teimam em avolumar meu corpo maravilhoso e perfeito seja culpa de outra pessoa, mas não me culpo apenas observo meu erro assumo que não sou perfeita e tento melhorar, nunca ser a melhor, sendo mais maravilhosa do que já sou basta (humilde...rsrs). Preocupo-me muito com a saúde por isso desde que tive minha filha a 13 anos tenho me cuidado acho que isso ajudou a não ter diagnósticos que não estivessem previstos. Torço pelo equilibrio de sua saúde e sei que sem culpa a saúde volta logo, com o devido tratamento é claro.
Abraços

Tays Rocha postou o comentário de número:

Cintia, meu marido tbm é um amor, e não me incomoda, vamos fazer 10 anos de casados dia 21/04, 15 anos juntos e ele nunca me cobrou nada. Eu é que por ser perfeccionista nunca aceitei falhar, ou ser incompleta em alguma área, talvez pela minha história, que é complicada prá caramba... eu sempre agi de forma a não decepcionar ninguém, sempre tive débitos, dívidas de gratidão, quando não deveria ter sido assim, mas cresci assim, foi o preço que paguei... Hoje luto e não é pouco, prá zerar tudo isso, prá tentar não me cobrar demais em relação às coisas, aos poucos tenho conseguido. Adorei teu relato. Beijocas ♥

Bel Rech postou o comentário de número:

Olá, estou fazendo uma visita no seu blog pela blogaegem coletiva e adorei a sua postagem..eu concordo muito com vc...Paz e bem

Silvia Mingardi postou o comentário de número:

Olá Cíntia... tenha um excelente final de semana...
Beijos!!!

Elaine Canha postou o comentário de número:

Menina!
Acho que tenho um criadouro desse bichinho lá em casa. Ou pessoa pra ter a mania de trazer toda a culpa pra si.

Beijos

Ale Quejinho postou o comentário de número:

Minha primeira vez por aqui, e estou amando. Deixo meu convite para conhecer o meu blog, se gostar me siga tambem que ficarei honrada.
Ale

Casa de Lola postou o comentário de número:

Oi Cintia,
sentir culpa faz muito mal pra gente, então como me quero muito bem, rsrsrs, não sinto culpa de nada,mas quando sinto que vou sentir trato logo de fazer coisas que me deixam feliz e esqueço a culpa, hahaha!!!
Beijos sem culpa
Lola BH

Fernanda Reali postou o comentário de número:

Muito bom.

Tostines vende mais porque é fresquinho, ou e fresquinho orque vende mais?

Um marido bacana é decorrência desta vida mais leve, ou a gente tem uma vida mais leve porque nossos maridos são tão bacanas???

Sei lá, mas sei que quando eles ajudam e compreendem, tudo fica muito melhor!

beijooooo

Luciana postou o comentário de número:

Ah Cissa, amei ler isso. Sabe que eu preciso urgentemente combater esse bichinho em minha vida. Vivo me culpando por tudo, até quando a culpa é do outro, eu acabo pegando ela pra mim...
Bjos, Lú.

Rafaela silva postou o comentário de número:

Muito bom seu texto! Tenho convivido com a culpa por muitos anos e hoje estou em processo de tornar minha caminhada mais leve...obrigada por compartilhar sua história...

Você co
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...